sábado, 28 de janeiro de 2012

Adil e Viola Fizeram Historia juntos no Corinthians


Um sábado gelado, propício para os casais de namorados comemorarem o seu dia.
Nessa época a Kaiser era uma grande cerveja e o Rider dava férias para nossos pés.
Para palmeirenses e corintianos uma atmosfera tensa. O Corinthians vinha de uma vitória no primeiro jogo da final. Viola, autor do único gol da partida, imitara o porco, alimentando uma polêmica enorme durante a semana. O Palmeiras, pressionado, sofrendo com gozações, há 17 anos sem nenhum título.
Era dia de decisão, dia de Derby, dia de Palmeiras e Corinthians, dia de Corinthians e Palmeiras.
Curiosidades sobre a partida
Na transmissão da TV Globo, a narração foi de Luís Alfredo, comentários de Juca Kfouri e Arnaldo César Coelho, reportagens de Mauro Naves.
Um público impensável para os dias de hoje, estádio do Morumbi lotado com 104.401 pessoas. Renda (recorde na época) de 18 bilhões de cruzeiros.
O prêmio para o artilheiro da competição era de 1 bilhão de cruzeiros. Viola com 20 tentos, faturou a bolada.
O regulamento previa prorrogação caso o Palmeiras vencesse a partida, independente do saldo de gols. E na prorrogação o empate favorecia o Verdão, por conta da melhor campanha durante o campeonato. Um regulamento, no mínimo, estranho. Tanto que no fim do segundo tempo, com 3 a 0 no placar, os dois times praticamente pararam, pois não havia o que fazer pra nenhum lado. Restava apenas guardar forças para mais 30 minutos de embate.
O trio de arbitragem foi composto por José Aparecido de Oliveira, Oscar Roberto de Godói e Dionísio Domingos.
Os jogadores do Palmeiras usaram meias brancas a pedido de Luxemburgo, superstição do professor, orientado por seu pai de santo (ou coisa do tipo).
Os jogadores do Corinthians usaram uma fita preta na manga da camisa, luto pelo pai do zagueiro Marcelo que havia falecido dois dias antes.
Os times
O Corinthians foi escalado com: Ronaldo, Leandro, Marcelo, Henrique, Ricardo, Ezequiel, Marcelinho (o paulista), Neto, Paulo Sérgio, Adil e Viola. No banco estavam Wilson, Elias, Embú, Tupãzinho e Bobô (aquele mesmo do Bahia). O técnico: Nelsinho Batista.
O Palmeiras entrou em campo com Sérgio, Mazinho, Antônio Carlos, Tonhão, Roberto Carlos, César Sampaio, Daniel, Zinho, Edilson, Evair e Edmundo. No banco: Veloso, Alexandre Rosa, Jean Carlo, Maurílio e Soares. O técnico: Vanderlei Luxemburgo (sem gravata).
oria com camisa do corinthians,Texto Fabio Almeida em 1993.

Nenhum comentário: